Nossa história
LOGO-01.png
Nossa história começa em julho de 2012, no Rio de Janeiro, mais especificamente na Cinelândia, entre teatros, museus, centros culturais, praças, lugar de movimentação sociocultural e de grandes manifestações no decorrer de toda história. Nasce da relação com o Lugar, inclusive sobre o Lugar da cultura no nosso cotidiano e nos meios de comunicação, e se fortalece na oportunidade de ser canal/ponte para que ArteVistas possam falar de seus trabalhos, compartilhar seus processos e suas conexões com lugares. É que, amamos diversidade.
Em julho de 2015, tornou-se um agrupamento de “ArteVistas “ das mais diferentes áreas: Administração, Cinema, Design, Fotografia, Gestão Cultural, Jornalismo e Publicidade, em comum, o desejo e a crença na cultura e comunicação como canal de transformação social, com objetivo, de compartilhar vivências e experiências, buscando apresentar arte, história, políticas públicas, cidadania, respeito, possibilidades culturais em formato leve e descontraído.
 
De Julho de 2012 até hoje já passamos por algumas fases e lugares e cada uma representa ensinamentos e transformações. Cada papo e lugar nos impacta e inspira.
 
Já trocamos com ArteVistas dos mais diversos estilos;  teatro, cinema, música, dança, artes visuais, produção cultural, circo, cultura de tradição, como reisado e a cerâmica do Cariri, performance, coletivos artísticos... e  pretendemos conversar muito mais.

 

200w_d.gif
 
Trabalhamos na busca de uma proposta cultural, comunicativa, participativa, dinâmica, colaborativa e experimental, e disponibiliza na internet o resultado da soma, gerando conteúdo livre para os que buscam conhecimento, promovendo um diálogo entre a cultura e as áreas de educação, política, comportamento social, história, tecnologia, atualidades e patrimônio cultural. Tudo de forma leve e degustativa, seja onde estivermos. Até agora passeamos pelo Rio de Janeiro, Ceará, Minas Gerais e São Paulo.
 
O que desejamos, é arte onde estivermos. E você, o que deseja?
*Para saber mais da história acompanhar Percepções - Diário de Bordo